Quando a mudança se fez necessária: por que eu quero mudar de profissão.

Oi, pessoal! Tudo bem?
Eu acredito que todos que me acompanham saibam que eu sou advogada com uma bagagem de quase 16 anos de profissão. Já fiz duas pós-graduações na área, sendo uma na UFF em Direito Privado, e a segunda na EMERJ, o curso oficial de formação em Magistratura do meu Estado. Já pensei em fazer concurso na época em que estava na EMERJ, mas depois de me formar naquela Escola desisti, por n motivos que não cabe enumerar aqui. Já trabalhei para grandes escritórios, já fui coordenadora de equipe de advogados, já trabalhei como audiencista, como advogada interna numa grande corporação e hoje tenho um escritório próprio, e estou cursando faculdade de Letras.  O que ninguém sabe é sobre os motivos que estão me fazendo escolher uma segunda graduação.
Para começo de conversa eu não estou abandonando o Direito, pelo menos não por enquanto. Tenho vontade de abandonar? Ultimamente tenho, sim. Mas não é esse o motivo que está me levando a cursar Letras.
Eu sempre quis fazer uma segunda graduação. SEMPRE. Já pensei em fazer uma pós-graduação em  Filosofia, Sociologia, Antropologia, História da Arte. mas daí eu estaria apenas acumulando pós-graduações, e não é esse o meu objetivo. Pensei em fazer um Mestrado, mas isso não implicaria em grandes mudanças de ares. Pensei em fazer outros cursos de Fotografia (minha segunda profissão), mas a grande verdade é que eu ando muito enjoada. Utimamente estou vendo a fotografia como uma ferramenta, como um meio e não como um fim.
O que eu quero mesmo é o novo, é agitar a mente, é descontruir conceitos, é aprender a pensar diferente, é sair fora da caixinha, da zona de conforto. E cursar Letras está agregando muito à minha profissão de advogada e, ao mesmo tempo, está abrindo um novo horizonte para mim. Quantos advogados escrevem bem? Quantos advogados escrevem o Português correto? Aliás, quantos profissionais, de outras áreas, escrevem corretamente? Nem eu mesma estou confortável com a minha maneira de escrever. Cometo muitos erros vergonhosos e tenho plena convicção disso. Mas não aceito, não me conformo e quero mudar. Por causa disso escolhi uma graduação que some à minha principal atividade e que me permita, mais a frente, se eu quiser, mudar de lugar.
A grande verdade é que eu sou assim: eu me atiro. Eu não me encolho e não me conformo. Se algo está me incomodando, eu mudo, saio do lugar. Eu não tenho medo de viver várias vidas em uma, e muitas vezes sou apontada por isso, criticada, feita de chacota por pessoas covardes que não tem um pingo de comiseração. Já chegou a meus ouvidos que eu fui feita de exemplo em sala de aula, exemplo de pessoa que não sabe o que quer, que cada hora faz uma coisa diferente. Exemplo de quem não sabe o que quer por querer uma mudança, querer experimentar o novo, POR NÃO ME CONFORMAR COM O BANAL. 
Dane-se.
Sinceramente? Já me preocupei muito com o que os outros falam a meu respeito. Já sofri, já chorei, já pensei em desistir de tudo por causa de uma simples crítica, mas percebi que, para as pessoas que falam, tanto faz. Essas pessoas não estão preocupadas comigo, com o que eu quero, com minhas dores, com meus anseios. Essas pessoas só querem falar, ser engraçadas, ter asunto. Professores que usam a vida de outras pessoas como exemplo de chacota em sala de aula não são verdadeiros educadores, são fanfarrões. Querem plateia, aplausos, e fazem do tablado, um palco de um pobre frustrado que vê nas palmas um pouco de satisfação. Quem me aponta como uma pessoa que não sabe o que quer não está pensando em nada, apenas em apontar, e, eventualmente, em ter assunto, 
Eu sei o que quero e porquê quero. Eu não sou uma pessoa conformada e odeio me sentir estagnada. Há muito tempo que a profissão de advogada não me traz satisfação pessoal. Traz dinheiro? Sim. Traz reconhecimento? às vezes. Mas não é nada disso que está em jogo para mim. É algo muito além. é a necessidade de mudar de vida, de virar tudo do avesso, de aprender e de me realizar. E eu estava adoecendo. Estava triste, sem perspectiva, sem grandes planos. Cansada de ver injustiças serem cometidas por sentenças dadas sem uma análise técnica perfeita. Cansada de lutar por justiça. 
Acho que a minha decisão de passar pro outro pólo tem a ver com cansar de tratar a doença e querer impedir a causa. Como professora eu terei a a chance de formar pessoas que se formarão em profissionais. Terei a chance de ajudar pessoas a começarem as suas vidas. Cansei de ajudar pessoas a resolverem problemas muitas vezes causados por elas mesmas, por causa de uma péssima educação escolar. Formar-me em professora está abrindo possibilidade para que eu aprenda a pensar, e aprenda a ensinar a pensar. Isso é o que me move e é a causa maior do meu anseio por mudança. 
Sonhadora? Idealista, eu sei.
Anúncios

15 comentários em “Quando a mudança se fez necessária: por que eu quero mudar de profissão.

  1. Sim, eu também me assusto com o quanto somos parecidas!
    Vou começar minha segunda graduação esse ano e poderia explicar alguns dos meus motivos usando seu post. No meu caso, vou cursar psicologia e não poderia estar mais empolgada! Nunca é tarde pra agregar conhecimento e experiência na vida, mesmo que vc não use o curso para “nada” já acho super válido. E sim, tem que se jogar mesmo, pq o que mais tem são pessoas cheias de palpite querendo meter a colher onde não foram chamados: “nossa, mas pq vc não faz uma pós?”, “nossa, mas vc vai começar uma facul com essa idade?”… o negócio é ignorar e seguir em frente \o/

    Curtir

  2. Caramba, sem palavras.
    Também estou saindo da minha zona de conforto.
    Quero cair de cara nos estudos depois de mais de 13 anos totalmente parada, com exceção dos 6 meses de inglês que fiz. HAHAHAHAH
    Vamos juntos, minha querida. Bóra não se encolher.
    Somos de fibra, vamos em frente.

    Um beijo grande minha colega!

    Curtir

  3. Oi Christine! Estou nessa de querer mudar um pouco os ares da minha formação, mas ainda não tenho certeza do que quero. Gostei muito da sua explicação. “Como professora eu terei a a chance de formar pessoas que se formarão em profissionais. Terei a chance de ajudar pessoas a começarem as suas vidas. “. Quem me dera mais pessoas reconhecessem o valor de um professor!
    Beijos!!
    Blog Amanda Hillerman

    Curtir

  4. Muda sim, Amanda! Leia bastante sobre outras áreas, veja alguns vídeos no youtube com depoimentos, isso ajuda muito! Fico muito feliz que voc~e tenha gostado e me sinto honrada! Espero um dia corresponder a essas expectativas. bjos

    Curtir

  5. Me identifiquei profundamente! Inclusive eu comecei a escrever minha postagem pra esse tema, e vai ser quase a mesma coisa que a sua. No meu caso, eu ainda não conclui minha graduação. Mudei algumas vezes e finalmente optei por aquela que muita gente tá falando que não vai me “dar dinheiro”. Poucos são os que percebem o quanto estou feliz. Me formo em breve.
    Mas sabe o que eu mais gosto nisso tudo? É encontrar pessoas na mesma situação. Porque gente frustrada no mundo tem aos montes. Gente com coragem de mudar sem se importar com o que os outros falam, esses são raros!
    Um beijo

    Curtir

  6. Me identifiquei profundamente! Inclusive eu comecei a escrever minha postagem pra esse tema, e vai ser quase a mesma coisa que a sua. No meu caso, eu ainda não conclui minha graduação. Mudei algumas vezes e finalmente optei por aquela que muita gente tá falando que não vai me “dar dinheiro”. Poucos são os que percebem o quanto estou feliz. Me formo em breve.
    Mas sabe o que eu mais gosto nisso tudo? É encontrar pessoas na mesma situação. Porque gente frustrada no mundo tem aos montes. Gente com coragem de mudar sem se importar com o que os outros falam, esses são raros!
    Um beijo

    Curtir

  7. Amei seu post e só pude me encontrar em suas palavras. Também estou mudando e fazendo Letras tb. Acho que nossa geração é assim, cheia de ideias, de vontades diferentes e alguns empregos não nos permitem mudar.
    Boa sorte, vc vai ser feliz 😉

    Curtir

  8. Eu fico realmente muito feliz em ler o teu comentário porque é muito bom encontrar gente como a gente, sinta-se abraçada.

    Curtir

  9. UAU Chris! Posso te chamar assim né? Como me identifiquei com você.. Não tenho um currículo tão extenso assim na minha primeira graduação. Mas como eu moro no interior do RJ, a frustração com a Publicidade foi quase imediata, não há muitas oportunidades por aqui e depois de 6 anos tentando, fiquei desmotivada, sempre reclamando da vida, sem perspectiva, sem saber o que eu mesma queria. Com certeza, querer mudar e ir atrás é melhor do que as pessoas vão pensar a seu respeito, mas confesso que de início tive medo desse julgamento e também tive medo de mudar de área. Mas eu pensei bem, conversei com pessoas que gostam realmente de mim (minha família e amigos próximos) e fui atrás dos meus sonhos. Desde que comecei o curso de Letras me perguntaram: nossa, mas você vai ser professora? (com aquele olhar de desprezo, como ser professor fosse sinônimo de passar fome). Eu respondo: Sim, com muito orgulhoo!! Já disse isso lá no meu blog, se a educação e o ser professor é desvalorizado assim, é em grande parte de pessoas desinformadas como essas. Antes de olhar com pena para quem fala que quer ser professor, procure antes se informar, professor não ganha tãoooo mal assim como pensam. Mas também não é o que deveriam ganhar, pois pelo o que eles fazem deveriam ser muito mais reconhecidos tanto com o salário e como profissional. Muitoooo bom conhecer você, que assim como eu, ingressou no mundo das Letras e tem orgulho disso, tenho certeza que seremos ótimas professoras.
    ps. Adoreeeeeei seu blog!!
    Beijocas

    Curtir

  10. Claro que pode me chamar de Chris! Menina, teu blog é uma inspiração para mim, eu amei, amei, amei encontrar alguém cursando Letras a distância e tão apaixonada pela carreira como eu. isso dá uma força pra gente não desanimar, né? Olha, eu to muito, muito triste com o Direito e doida pra largar. Eu to pensando em tentar fazer logo estágio na área da Educação, mas isso me impediria de advogar, e ganha-se muito pouco em estágio, e também não sei se me aceitariam no primeiro período. Enfim, eu não vejo a hora de abraçar de vez a nossa profissão escolhida e amada. Eu entendo completamente o que você está pasaando, mas não desista. Segura aqui na minha mão e veeeem! Ah, eu to te stalkeando, pode? ahahahaha porque é tão bom encontrar alguém com quem a gente tenha afinidade, né? Muito bem vinda ao meu cantinho, fique a vontade sempre! Muito obrigada por comentar aqui, você é muito bem vinda! bjos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s