Playlist – melhores letras (e músicas) do Pink Floyd

Pink Floyd é uma banda britânica formada em 1965  por Bob Klose, Roger Waters, Syd Barrett, Nick Manson e Richard Whright. Klose, na verdade, somente gravou uma demo com a banda e logo saiu da banda e, posteriormente, Barrett foi substituído por David Gilmour. Essa formação permaneceu ativa com altos e baixos até 1985 (teve a saída de Richard Whright em 79 também, portanto ele não participou do The Final Cut), quando, então, se dissolveu. Eu não gosto do trabalho da banda sem o Roger, por isso não incluí nessa lista nenhuma música produzida pelo Pink Floyd 1987 LTDA.

No mês passado, a revista Bula publicou uma lista com as dez melhores músicas do Pink Floyd na opinião de seus leitores. Eu achei a lista extremamente clichê, apresentando apenas as músicas mais famosas da banda, o que, muito provavelmente, não reflete a opinião dos fãs.

Como fã da banda, resolvi criar a minha própria lista, pegando uma música de cada disco, e esta é, na minha opinião, a melhor maneira para quem estava em coma nos últimos 40 anos conhecer a  banda em sua raiz.

Vamos lá?

(Para ouvir as músicas, clique no link que direcionará para o Spotify).

1- Astronomy Domine – The Piper at the Gates of Down

Essa é a primeira música do primeiro álbum da banda. É um disco pouco festejado, o que acho um verdadeiro desperdício porque, na minha opinião, é um dos melhores discos da banda. Desse disco eu também gosto muito de Lucifer Sam, mas pela letra escolhi Astronomy Domine, que foi escrita por Syd Barrett e é, talvez, a letra mais psicodélica da de todas.

2-  Set The Controls for the heart of the Sun – A Saucerful of Secrets

Essa música é simplesmente sensacional e dizem que o álbum é o preferido do Nick Manson. Foi o álbum de duas estreias maravilhosas: do Gilmour como componente da banda e  do Waters como letrista.

3- Cymbaline – More

Esse disco é uma doideira. Ele foi concebido para ser a trilha sonora do filme de mesmo nome, e a música mais conhecida do disco é Green is the color, mas eu sou do contra e vou indicar essa música que tem uma letra e uma melodia fantásticas.

4- The Narrow Way, Pt 3 – Ummagumma

O disco Ummagumma é um álbum duplo lançado em 1969 sendo que o primeiro contém músicas ao vivo de álbuns anteriores, e o segundo é composto de músicas inéditas compostas por cada membro da banda.  apesar de ser viúva confessa do Waters, dessa vez ficarei com uma composição do Gilmour.

5- Fat Old Sun – Atom Heart Mother

Essa é de uma suavidade na voz, uma delicadeza dos acordes e tem uma letra que fazem dessa música uma verdadeira obra de arte que não deveria ser ignorada pelo grande público.

6 – Echoes – Meddle

Echoes é clichê? é. Mas é visceral. Não há muito o que falar, só sentir.

7 – Wot’s… Uh, The Deal – Obscures by Clouds

Esse é um dos discos mais ignorados da banda, mas contém composições belíssimas, basta um pouquinho de boa vontade.

8 –The Great Gig in the Sky – The Dark Side of the moon

Para escolher uma música do The dark side of the moon foi uma tarefa difícil demais. Primeiro porque eu considero o disco uma única música que se divide em partes (me julgem!). Sim, essa é a interpretação que eu faço do disco, a mesma que faço do The Wall, que falaremos mais abaixo. Mas para SIGNIFICAR, porque eu preciso escolher uma única música, com letra e sonoridade, fico com  The Great Gig in the sky.

 9 – Shine On you crazy Diamond  pt 1 – Wish You Were Here

O que falar de Shine On (para os íntimos)? É quase um hino. Não existe a menor possibilidade dessa música ficar de fora de qualquer lista.

10 –Dogs – Animals

Está aí um disco difícil para se escolher uma única música, eu apenas gosto de todas. Mas Dogs é uma outra categoria de música, não só pela letra profunda e um pouco surrealista, como pela harmonia dos diversos sons que se misturam a melodia da canção. É preciso paciência para escutar uma música de quase 20 minutos, então aconselho apagar as luzes, deitar-se confortavelmente, e não se preocupar em dormir porque na hora certa você será acordado.

11 – Confortably Numb – The Wall

Para o The Wall tenho a mesma teoria que criei pro TDSOTM: é uma música só divida em partes. Na verdade o The Wall é uma peça/ópera dividida em atos. Ah, Roger é genial! Fiquei em dúvida entre The Happiest Days of our lives e Young Lust, ou até mesmo Vera, mas nessa tenho que concordar que não há nada comparável a Comfortably Numb.

12 – The Final Cut – The Final Cut

O último disco da  banda é, também, um dos meus favoritos. Parece uma continuação do The Wall, mas para alguns ele é praticamente um álbum solo do Roger. Outro questionamento que se faz é com relação a não participação do Richard Wrigth, o que traz questionamentos sobre ser ou não um trabalho do Pink Floyd, mas contém verdadeiras pérolas que devemos apreciar sem moderação, como a música que dá título a obra.

Link da playlist completa:  Pink Floyd by Chris

 

E aí? gostaram das indicações? Se você não conhecia as músicas e gostou de alguma, deixe aqui embaixo o seu comentário que será muito importante, para mim, saber a tua opinião. Se você não concorda com as minhas escolhas, mostre-me as tuas! Só não me venha falar mal do trabalho do Roger, porque aí pode dar briga. 

Anúncios

Dica de álbum de rock progressivo/psicodélico: Edgar Broughton Band, 1971.

Bom dia, gente!

Não sei se já escrevi aqui no blog que eu sou completamente apaixonada pela cultura hippie dos anos 60/70, naquele estilo “não faça guerra, faça amor”, saca?

mas, principalmente, pelas músicas do final dos anos 60/início dos anos 70.

Amo essa galera mutcholoka

 

Quando existia o orkut eu passava algumas tardes garimpando discos e artistas desconhecidos, e fazia parte de uma comunidade chamada “Bandas que ninguém conhece”, onde o pessoal indicava bandas que quase ninguém conhecia MESMO.
E nessas andanças eu descobri Edgar Broughton Band, uma banda que começou como eletric blues formada em 1968 na Inglaterra  que posteriormente misturou elementos de psicodelia e rock progressivo.
Segue uma palhinha do que os caras faziam ao vivo:

 

 

O disco de 1971 foi um disco que não decolou muito porque trouxe um estilo mais suave de rock, coomparado ao estilo de rock pesado da banda que já estava perdendo força devido ao auge do Black Sabbath e Deep Purple. Mas…é o meu disco preferido da banda!  Olhem para esta capa, por favor.

 

Isso é ou não genial?

Tem no spotify, galera, correee!


Esse disco de 2004 vem como bonus track! ^_^

A banda:

  • Edgar Broughton – Vocals, guitar
  • Arthur Grant – Bass guitar, vocals
  • Steve Broughton – Drums, vocals
  • Victor Unitt – Guitar, harmonica, piano, organ, vocals
(1971) Edgar Broughton Band (*) Tracklist: 1. Evening Over Rooftops (E. Broughton, Unitt) 4:57 2. The Birth (E. Broughton) 3:20 3. Piece Of My Own (E. Broughton) 2:49 4. Poppy (E. Broughton)/Don’t Even Know Wich Day It Is (E. Broughton, S. Broughton, Unitt) 6:32 5. House Of Turnabout (Broughton) 3:06 6. Madhatter (E. Broughton, S. Broughton, Unitt) 6:12 7. Gettin Hard Intro (The Edgar Broughton Band)/What Is A Woman For? (Broughton) 7:27 8. Thinking Of You (S. Broughton, Unitt) 2:04 9. For Doctor Spock [Part One] (The Edgar Broughton Band)/For Doctor Spock [Part Two] (E. Broughton) 3:48 10. Out Demons Out [Released As A-side Of “Harvest HAR 5015] (Grant, E. Broughton, S. Broughton) 4:48 11. Apache Drope Out: Apache Intro/Drop Out Boogie [Released As A-side Of “Harvest HAR 5032] (Van Vliet, Lordan) 3:12 12. Freedom [Released As B-side Of “Harvest HAR 5032] (E. Broughton) 13. Up Yours! [Released As A-side Of “Harvest HAR 5021”] (E. Broughton) 3:00 Personnel: Edgar Broughton: Guitar, Vocals Steve Broughton: Drums, Vocals Arthur Grant – Bass, Vocals Victor Unitt: Guitar, Harmonica, Vocals Mike Oldfield: Mandolin (track 8) David Bedford: Piano (track 8) Johnny van Derek: Violin (track 3) The Ladybirds: Vocals (track 1) P. Harold Fatt: Vocals (track 5) (*) CD, com 4 faixas bônus, lançado em 2002 (há outras versões do disco; a aqui postada é a da gravadora Panthom [a gravadora Repertoire, alemã, também lançou uma edição igual])

Copy the BEST Traders and Make Money : http://bit.ly/fxzulu

(1971) Edgar Broughton Band (*) Tracklist: 1. Evening Over Rooftops (E. Broughton, Unitt) 4:57 2. The Birth (E. Broughton) 3:20 3. Piece Of My Own (E. Broughton) 2:49 4. Poppy (E. Broughton)/Don’t Even Know Wich Day It Is (E. Broughton, S. Broughton, Unitt) 6:32 5. House Of Turnabout (Broughton) 3:06 6. Madhatter (E. Broughton, S. Broughton, Unitt) 6:12 7. Gettin Hard Intro (The Edgar Broughton Band)/What Is A Woman For? (Broughton) 7:27 8. Thinking Of You (S. Broughton, Unitt) 2:04 9. For Doctor Spock [Part One] (The Edgar Broughton Band)/For Doctor Spock [Part Two] (E. Broughton) 3:48 10. Out Demons Out [Released As A-side Of “Harvest HAR 5015] (Grant, E. Broughton, S. Broughton) 4:48 11. Apache Drope Out: Apache Intro/Drop Out Boogie [Released As A-side Of “Harvest HAR 5032] (Van Vliet, Lordan) 3:12 12. Freedom [Released As B-side Of “Harvest HAR 5032] (E. Broughton) 13. Up Yours! [Released As A-side Of “Harvest HAR 5021”] (E. Broughton) 3:00 Personnel: Edgar Broughton: Guitar, Vocals Steve Broughton: Drums, Vocals Arthur Grant – Bass, Vocals Victor Unitt: Guitar, Harmonica, Vocals Mike Oldfield: Mandolin (track 8) David Bedford: Piano (track 8) Johnny van Derek: Violin (track 3) The Ladybirds: Vocals (track 1) P. Harold Fatt: Vocals (track 5) (*) CD, com 4 faixas bônus, lançado em 2002 (há outras versões do disco; a aqui postada é a da gravadora Panthom [a gravadora Repertoire, alemã, também lançou uma edição igual])

Copy the BEST Traders and Make Money : http://bit.ly/fxzulu

Quem quiser saber mais e acompanhar o trabalho do Edgard, ele tem um blog ativo! É isso mesmo, o coroa manja dos paranauê das internete! hehehe Vejam aqui: http://thefirstsupper.blogspot.com.br/

Gostou da dica de hoje? Comenta aí embaixo se quiser que eu faça mais posts assim! bjos