Minhas impressões: Dois irmãos, Milton Hatoum

Oi, pessoal! Tudo bem?

Hoje trago para vocês meu segundo livro encerrado deste mês de janeiro. Sim, já li dois livros e estou lendo mais dois. Comecei o ano muito bem em minhas leituras e estou muito animada, acho que será um ano realmente proveitoso.

15875157_1856927884579379_6076955432289514141_o

Escolhi esse livro pelo motivo mais óbvio: hoje começa aquela minissérie da Globo e eu não quero tomar um monte de spoiler pela cara, pois já vi algumas entrevistas do autor e parece que a direção respeitou bastante a história, será algo fiel ao livro e eu fiquei com vontade de assistir. Eu não vejo TV há dois anos, então ainda não sei se vou conseguir acompanhar a série direitinho, mas fiz questão de ler logo o livro e estou muito grata por isso porque foi uma leitura incrível.

O livro tem 266 páginas e eu devorei em menos de 24h. Na verdade eu comecei a ler por volta das 16h da última sexta-feira e pretendia ler até a meia-noite daquele dia, mas não rolou porque tive diversos afazeres domésticos que me tiraram do foco. Então retomei a leitura no dia seguinte e terminei super rápido.

O romance é ambientado em Manaus, começando por volta dos anos 20/30 e atravessando o golpe militar de 64, narrado em primeira pessoa por Nael, o personagem central da trama. Tudo nos é mostrado pelo ponto de vista dele, seja pelo que ele viu e viveu, ou pelas histórias que ele ouviu dos outros personagens. Nael é filho de Domingas, uma órfã que foi adotada ainda como empregada por Halim e sua jovem esposa Zana. Esse casal apaixonado teve três filhos, Omar e Yaqub, gêmeos que se odiavam desde a infância, e Rânia, a única filha mulher do casal.

É muito importante destacar que Halim não queria filhos, mas Zana sempre quis três. Halim queria a mulher só para ele, e isso tem um grande peso em toda a história, inclusive sobre o ódio entre os irmãos: Omar, o “caçula”, desprezado pelo ciúme do pai sobre a proteção exagerada da mãe, e Yaqub, o que nasceu primeiro e sempre foi visto como o mais forte, o mais independente e a grande promessa da família.

Nael nos conta sobre sua própria família, que ele observa e vai juntando as peças de um enorme quebra-cabeças na esperança de entender suas origens e descobrir quem é o seu verdadeiro pai. Sim, Nael é filho de um dos homens da casa, mas sempre fora tratado como o filho da empregada.

Mas não se engane, a história não é tão simples e não é apenas sobre Nael ou sobre o ódio entre os gêmeos. É a história dos imigrantes libaneses, dos habitantes nativos de Manaus, da cidade e sua degradação, de uma família e seus dramas particulares. Temos uma riqueza enorme de temas, uma variação no tempo com personagens bem descritos, cada qual com sua personalidade muito desenvolvida.

Não existe um mocinho e um bandido, todos tem suas características boas e más, suas dores, suas angústias e suas razões.  A ambientação é detalhada sem ser cansativa, e o leitor tem a oportunidade de se colocar ao lado de Nael, observando e pensando a história junto com o narrador.

Foi uma experiência de leitura realmente necessária e eu tenho certeza que esse livro se tornará, se já não é, um grande clássico da literatura brasileira..

Anúncios

Enfim, férias!

Oi, Pessoal! Tudo bem?

Por aqui está tudo tranquilo, pelo menos agora!  No dia 17 de maio eu sofri um assalto e me levaram o meu tão amado celular, no qual simplesmente continha a minha vida! Esse roubo aconteceu no dia das minhas últimas três provas da faculdade, eu estava no ponto do ônibus  quando fui abordada. Tive que voltar em casa, bloquear cartões de bancos (sim, eu usava aplicativo do banco no celular, sou dessas!), trocar senhas de todas as redes sociais e bloquear meu número. Depois fui fazer a prova, que aconteceria em três horas, tive que fazer três provas em uma hora. Conclusão: não fui tão bem assim nas provas e o que me salvou foi que eu tinha notas realmente boas nas primeiras provas. Mas pelo menos eu já passei   e ainda estou pensando se faço ou não a A3 para melhorar meu CR.

O bom é que agora estou podendo me dedicar mais às minhas leituras e já avancei muito em alguns projetos. Ah, e com a ajuda do Kindle estou num verdadeiro frenesi de leituras, lendo sem parar, em qualquer hora e lugar. Realmente o Kindle foi a melhor aquisição que fiz nos últimos tempos. Sabem, eu sou muito ansiosa e com o kindle eu posso escolher um livro e na mesma hora tê-lo à minha disposição. Para quem ainda não viu, segue meu vídeo de quando o kindle chegou, muito amorzinho!

Então quero contar para vocês qual é o meu planejamento de férias da faculdade:

1 –  Quero terminar o projeto lendo 15 livros pra entender a sociedade e a política do Brasil porque é um projeto curtinho que eu acho que vou conseguir matar logo, e porque acho que selecionei livros muito importantes pros próximos semestres da faculdade.

2- Quero adiantar o estudo de introdução aos estudos literários, e por isso comprei o livro Introdução aos estudos literários, do Erich Auerbach que você pode encomendar aqui http://amzn.to/1RTf4H1. Esse livro é maravilhosos, uma edição linda da Cosac e Naify que eu estou in love. Vale muito a pena.

DSC_8771

3 – Montar o meu canal no Youtube. Gente, eu já gravei mais de 10 vídeos e apaguei por motivo de sou tímida e me odeio no vídeo uhahuauhuhaa. Sério, não sei como superar isso, mas eu vou fazer porque estou sentindo vontade de ter uma maior interação com leitores e estudantes de Letras e acho que um canal vai ser um meio bacana de aprender e divulgar mais o meu futuro trabalho. Na verdade esse canal já existe, só que não tem nada de interessante por lá…AINDA!

Bom, é isso, pessoal. Se você estiver de férias da faculdade assim como eu, deixa nos comentários quais os teus planos que eu vou adorar saber sobre isso!

beijão.