Minhas impressões: Dois irmãos, Milton Hatoum

Oi, pessoal! Tudo bem?

Hoje trago para vocês meu segundo livro encerrado deste mês de janeiro. Sim, já li dois livros e estou lendo mais dois. Comecei o ano muito bem em minhas leituras e estou muito animada, acho que será um ano realmente proveitoso.

15875157_1856927884579379_6076955432289514141_o

Escolhi esse livro pelo motivo mais óbvio: hoje começa aquela minissérie da Globo e eu não quero tomar um monte de spoiler pela cara, pois já vi algumas entrevistas do autor e parece que a direção respeitou bastante a história, será algo fiel ao livro e eu fiquei com vontade de assistir. Eu não vejo TV há dois anos, então ainda não sei se vou conseguir acompanhar a série direitinho, mas fiz questão de ler logo o livro e estou muito grata por isso porque foi uma leitura incrível.

O livro tem 266 páginas e eu devorei em menos de 24h. Na verdade eu comecei a ler por volta das 16h da última sexta-feira e pretendia ler até a meia-noite daquele dia, mas não rolou porque tive diversos afazeres domésticos que me tiraram do foco. Então retomei a leitura no dia seguinte e terminei super rápido.

O romance é ambientado em Manaus, começando por volta dos anos 20/30 e atravessando o golpe militar de 64, narrado em primeira pessoa por Nael, o personagem central da trama. Tudo nos é mostrado pelo ponto de vista dele, seja pelo que ele viu e viveu, ou pelas histórias que ele ouviu dos outros personagens. Nael é filho de Domingas, uma órfã que foi adotada ainda como empregada por Halim e sua jovem esposa Zana. Esse casal apaixonado teve três filhos, Omar e Yaqub, gêmeos que se odiavam desde a infância, e Rânia, a única filha mulher do casal.

É muito importante destacar que Halim não queria filhos, mas Zana sempre quis três. Halim queria a mulher só para ele, e isso tem um grande peso em toda a história, inclusive sobre o ódio entre os irmãos: Omar, o “caçula”, desprezado pelo ciúme do pai sobre a proteção exagerada da mãe, e Yaqub, o que nasceu primeiro e sempre foi visto como o mais forte, o mais independente e a grande promessa da família.

Nael nos conta sobre sua própria família, que ele observa e vai juntando as peças de um enorme quebra-cabeças na esperança de entender suas origens e descobrir quem é o seu verdadeiro pai. Sim, Nael é filho de um dos homens da casa, mas sempre fora tratado como o filho da empregada.

Mas não se engane, a história não é tão simples e não é apenas sobre Nael ou sobre o ódio entre os gêmeos. É a história dos imigrantes libaneses, dos habitantes nativos de Manaus, da cidade e sua degradação, de uma família e seus dramas particulares. Temos uma riqueza enorme de temas, uma variação no tempo com personagens bem descritos, cada qual com sua personalidade muito desenvolvida.

Não existe um mocinho e um bandido, todos tem suas características boas e más, suas dores, suas angústias e suas razões.  A ambientação é detalhada sem ser cansativa, e o leitor tem a oportunidade de se colocar ao lado de Nael, observando e pensando a história junto com o narrador.

Foi uma experiência de leitura realmente necessária e eu tenho certeza que esse livro se tornará, se já não é, um grande clássico da literatura brasileira..

Anúncios

Minhas leituras em andamento – Outubro.

Oioioi, pessoal! Belezinha? Por aqui está uma correria, como sempre, e minhas leituras estão a mil.

Estou tentando conciliar as leituras de lazer e da faculdade, mas como é difícil, não? Um exercício que eu faço, para não me deixar cair na loucura de ler apenas o que eu tenho vontade, é fazer uma viagem mental e pensar sobre os motivos que me levaram a cursar a faculdade de Letras. Eu queria conhecer mais e mais leituras, principalmente as leituras que marcaram a humanidade. Eu quero mergulhar nesse oceano de livros que existe por aí, e ler de forma direcionada, técnica, construindo uma base sólida para a leitora que eu quero me tornar, mais crítica e atenciosa às linhas que meus olhos seguirem.

É difícil vencer a preguiça de pegar livros como Lisístrata, obrigatório para a disciplina de Bases da Cultura Ocidental, e  que eu estou procrastinando há um mês. Mas eu decisi que após concluir a leitura em andamento, farei uma verdadeira imersão nas leituras da faculdade, com um estudo profundo e atencioso.

Até agora li por conta própria e selecionei livros em homenagem ao dia das crianças e ao mês das bruxas, hehehe.

  • Menina má,  (lido), Willian March. Conta a história de uma mãe que descobre aos poucos que sua filha de oito anos é, na verdade, uma psicopata. Nota 8.

post-menina-ma

  • Precisamos falar sobre Kevin (lido), Lionel Shriver.  Um livro epistolar no qual a mãe escreve cartas ao pai do garoto psicopata que matou uma professora e alguns colegas de classe. Nota 10.

precisamos-falar-sobre-o-kevin-resenha-livro

  • Quando os Adams saíram de férias (lido), Mendal W. Johnson. Conta a história de uma babá que é torturada por cinco crianças. Se não fosse pela misoginia explícita do livro (consegue ser nojento ao ponto de descrever um orgasmo da babá durante seu estupro), seria nota 9,5. Diante disso, dou 4.

quando-os-adams-sairam-de-ferias-mendal-w-johnson-101421-mlb20765380387_062016-f

  • O exorcista (em andamento), Willian Peter Blatty. Aquela história da garotinha de 12 anos que é possuída pelo demo. Vi o filme há anos atrás e agora estou lendo o livro. Gostando muito!  Tem tudo para um 10: ritmo, história, escrita, ambientação, tudo!

o-exorcista

  • Senhor das moscas, Willian Golding. Tudo o que eu sei sobre o livro, por enquanto, é que algumas crianças ficam presas numa ilha sem nenhum adulto por perto e isso vai revelar o lado selvagem de cada uma delas.

imagem-png-430-x-671-pixels

Abaixo as leituras da faculdade  que eu sequer comecei (livros e textos) e que deverei cumprir até o dia 20/11 (data da prova):

  • Édipo Rei
  • Os grandes festivais, de Maria Helena da Rocha Pereira
  • Alegoria da Caverna, Platão.
  • Apologia, Platão.
  • Nuvens, Aristófanes
  • Didakhé
  • Martírio de São Policarpo
  • Confissões, de Santo Agostinho
  • A Cidade de Deus
  • De Boécio a Gregório, o Grande, de Étienne Gilson.

Bom, acho que eu preciso me organizar mais, não é mesmo? hehehe

Por hoje é isso, pessoal! Conta pra mim nos comentários o que vocês estão lendo neste mês de outubro, eu anoto cada dica de vocês!

Beijo grande e até o próximo post.

Primeiro bimestre da faculdade

Oi, pessoal! Tudo bem?

Terminei as primeiras provas da faculdade e, sinceramente, não sei o que dizer. Achei as provas fáceis, e é justamente esse o meu medo porque já percebi que os professores são do tipo “acertou a questão mas não escreveu o que eu queria”, portanto, não sei o que esperar.

Neste primeiro bimestre vimos a parte mais básica de Linguística, estudamos quase todo o livro do Saussure. Em Português, vimos coesão e coerência textuais de forma bastante aprofundada, a matéria ficou enorme e foi a que mais me surpreendeu pois achei a prova muito fácil. Em bases da Cultura Ocidental vimos a Épica e a Lírica gregas. Eu amo essa matéria, gente, é a que eu mais gosto até agora na faculdade.Consegui ler a Ilíada e a Odisseia, mas não consegui ler a Eneida, apenas alguns textos que o professor disponibilizou, que eram alguns cantos dessa Epopeia. Vimos, ainda, a Teogonia e Trabalhos e Dias, do Hesíodo, e alguns poemas de Catulo e Safo.

Imaginem se eu consegui ler alguma coisa fora da faculdade? De julho para cá, fora as leituras acima, só consegui ler:

Quando falam que na faculdade de Letras não conseguimos ler o que queremos, não é mentira. Algumas leituras da grade são tão densas, e há tantos textos de apoio, que a leitura de lazer fica prejudicada. Tudo bem que também considero a Ilíada e a Odisseia leituras prazerosas, e até estão na minha lista de 142 livros para ler até o final da faculdade, mas eu quero dizer no sentido de poder escolher minhas leituras com maior liberdade.  O bom da faculdade é o direcionamento da leitura e todos os textos de apoio que nos ajudam a ter uma visão mais histórica e crítica dos livros, isso é muito legal.

Minhas provas ocorreram no campus da Rural de Nova Iguaçu nos dias 10, 11 e 18 de setembro, e foi muito bacana encontrar o pessoal da minha turma, com quem converso todos os dias por whatsapp. Essa é uma grande diferença do CEDERJ para a Universo, lá  eu não tinha qualquer contato com os outros alunos da minha turma e as provas eram marcadas por cada aluno aleatoriamente (ou seja, a gente escolhia os dias e horários), e no CEDERJ a gente tem até uma turma certinha, isso é muito legal.

No próximo post vou mostrar para vocês as leituras do segundo bimestre da faculdade e como estou administrando (ou não) a minha vida acadêmica.

Bjks, e até mais!

PS: comprando qualquer dos livros citados através dos links respectivos vocês ajudam o blog a crescer. ^_^

 

 

 

 

 

Voltei com novidades!

Olá, pessoa! Tudo bem?

Estou muito sumida, não é mesmo? Eu sei, eu sei… mas foi por uma boa causa!

No dia 04 de junho prestei o vestibular do CEDERJ para o curso de Letras da UFF na modalidade a distância. Eu não sabia do que se tratava esse consórcio, foi o meu marido quem me apresentou e me incentivou a tentar o vestibular. Confesso que fiz a prova sem acreditar que era possível, pois estava há mais de vinte anos longe dos bancos escolares, e passar foi uma grata surpresa para mim.

Então essa é a grande novidade para quem já me acompanha há algum tempo: agora  eu curso uma Universidade Federal e estou muito feliz!

As aulas começaram no dia 16.07.2016 e fui bombardeada com muitas informações. O método de estudo é semelhante ao da Universo, mas a quantidade de matéria é absurdamente mais extensa. Para cada matéria temos duas apostilas enormes de quase trezentas páginas, e muitos textos de apoio. Não temos muitas aulas em vídeos, apenas algumas matérias os disponibilizam, e existem as tutorias presenciais que ocorrem no Pólo, sendo que o meu fica em Nova Iguaçu porque era o local mais próximo de Niterói (que abriu vaga), então será muito difícil ir nas tutorias presenciais.

Eu já tranquei a matrícula na Universo e já pedi meu histórico escolar com a ementa das disciplinas para pedir dispensa das matérias que já cursei, pois serão disciplinas cursadas no 4º e 5º períodos. Como s]ao disciplinas mais voltadas para Educação, não vejo problema em aproveitar o que aprendi na outra faculdade e “perder” a oportunidade de estudar de novo.

Neste primeiro período temos apenas quatro matérias e não podemos “puxar” outras. No início eu não gostei muito da ideia mas agora vejo o quanto isso é importante pois o volume de matérias na UFF é absurdo, e tem um ritmo muito diferente, sendo necessário começar devagar para acostumar.

Primeiro período de Letras da UFF 2016.2.

  • Bases da cultura ocidental (BCO)
  • Português 1
  • Linguística 1
  • Informática

Para informática temos 10 aulas presenciais, devendo comparecer a pelo menos 50% delas, que são obrigatórias. Mas podemos fazer um teste de proficiência para pedir dispensa das aulas, e eu logo agendarei o meu. É uma matéria que serve, basicamente, para ensinar a mexer no sistema.

Em BCO veremos toda a cultura Greco-Romana e Judaico-Cristã, o que significa que vou passar pelas obras de Homero e Virgílio, e estudarei bastante sobre a Idade Média. Como não amar? Já estou apaixonada!

Por conta dessa reviravolta na minha vida, precisei mexer nos meus projetos literários. Atualmente estou lendo A Montanha Mágica, do Thomas Mann e A Viagem, da Virgínia Woolf, mas vou desacelerar o ritmo para focar mais nas leituras da faculdade porque separei alguns livros da bibliografia básica do curso e outros da minha escolha para servirem de apoio aos meus estudos.

Livros de apoio da bibliografia do curso:

ilíada
Ilíada, de Homero, história estudada em BCO.
odisseia
Odisseia, de Homero. História estudada em BCO.
eneida
Eneida, de Virgílio. História estudada em BCO.
Como_a_Igreja_Ca_4b8d5201b1932
Livro indicado na bibliografia básica de BCO.
o outono da idade média
Livro que comprei e não vejo melhor oportunidade para começar a ler.
gramatica
Gramática indicada na bibliografia básica de Português 1.
textos-basicos-de-linguagem---de-platao-a-foucault
Livro indicado na Bibliografia básica de Linguística.
saussure
Livro indicado na bibliografia básica de Linguística 1.

Ainda falta organizar essas leituras e conjugá-las com o planejamento de estudo semanal pois eu realmente quero dar tudo de mim nesse curso porque foi uma escolha pessoal, feita com muita paixão. Em outros posts falarei mais sobre métodos de estudos e como tem sido minha adaptação nessa nova realidade numa Universidade Federal.

Quem tiver alguma dúvida e quiser perguntar algo sobre o consórcio CEDERJ, fique à vontade.

Até mais, pessoal.

 

Enfim, férias!

Oi, Pessoal! Tudo bem?

Por aqui está tudo tranquilo, pelo menos agora!  No dia 17 de maio eu sofri um assalto e me levaram o meu tão amado celular, no qual simplesmente continha a minha vida! Esse roubo aconteceu no dia das minhas últimas três provas da faculdade, eu estava no ponto do ônibus  quando fui abordada. Tive que voltar em casa, bloquear cartões de bancos (sim, eu usava aplicativo do banco no celular, sou dessas!), trocar senhas de todas as redes sociais e bloquear meu número. Depois fui fazer a prova, que aconteceria em três horas, tive que fazer três provas em uma hora. Conclusão: não fui tão bem assim nas provas e o que me salvou foi que eu tinha notas realmente boas nas primeiras provas. Mas pelo menos eu já passei   e ainda estou pensando se faço ou não a A3 para melhorar meu CR.

O bom é que agora estou podendo me dedicar mais às minhas leituras e já avancei muito em alguns projetos. Ah, e com a ajuda do Kindle estou num verdadeiro frenesi de leituras, lendo sem parar, em qualquer hora e lugar. Realmente o Kindle foi a melhor aquisição que fiz nos últimos tempos. Sabem, eu sou muito ansiosa e com o kindle eu posso escolher um livro e na mesma hora tê-lo à minha disposição. Para quem ainda não viu, segue meu vídeo de quando o kindle chegou, muito amorzinho!

Então quero contar para vocês qual é o meu planejamento de férias da faculdade:

1 –  Quero terminar o projeto lendo 15 livros pra entender a sociedade e a política do Brasil porque é um projeto curtinho que eu acho que vou conseguir matar logo, e porque acho que selecionei livros muito importantes pros próximos semestres da faculdade.

2- Quero adiantar o estudo de introdução aos estudos literários, e por isso comprei o livro Introdução aos estudos literários, do Erich Auerbach que você pode encomendar aqui http://amzn.to/1RTf4H1. Esse livro é maravilhosos, uma edição linda da Cosac e Naify que eu estou in love. Vale muito a pena.

DSC_8771

3 – Montar o meu canal no Youtube. Gente, eu já gravei mais de 10 vídeos e apaguei por motivo de sou tímida e me odeio no vídeo uhahuauhuhaa. Sério, não sei como superar isso, mas eu vou fazer porque estou sentindo vontade de ter uma maior interação com leitores e estudantes de Letras e acho que um canal vai ser um meio bacana de aprender e divulgar mais o meu futuro trabalho. Na verdade esse canal já existe, só que não tem nada de interessante por lá…AINDA!

Bom, é isso, pessoal. Se você estiver de férias da faculdade assim como eu, deixa nos comentários quais os teus planos que eu vou adorar saber sobre isso!

beijão.